CPR Verde​

Cédula do Produto Rural Verde

CPR Verde é Inovação

Grupo BMV é responsável pelo lançamento das primeiras CPRs Verdes. As chamadas CPRs (Cédulas de Produto Rural) Verdes, anunciadas pelos ministérios da Economia, do Meio Ambiente (MMA), da Agricultura (MAPA) e o Banco Central (Bacen), já são uma realidade aqui.O Grupo pioneiro em ativos ambientais origina suas Unidades de Crédito de Sustentabilidade (UCSs), lastreados nas CPRs verdes, em suas reservas junto a produtores rurais parceiros nos núcleos do Amapá, Xingu, Teles Pires, Arinos e Madeira. Ao todo, são cerca de 200 produtores parceiros, totalizando aproximadamente 778 mil hectares nos Estados do Amapá, Amazonas, Mato Grosso.
O lançamento da CPR Verde é um desdobramento da lei 13.986/20 (a nova lei do Agro), que permite as CPRs lastreadas em ativos ambientais. O mecanismo é relativamente simples: um produtor que possua uma área de preservação pode emitir uma CPR relativa à conservação dessa área. Essa CPR, por sua vez, será adquirida por um investidor que tenha interesse, por exemplo, em cumprir critérios ESG ou fazer um “net positive de carbono” (com a floresta em pé).
A CPR é um mecanismo bastante difundido entre os produtores e no mercado financeiro e reconhecido por sua segurança jurídica. Atualmente, todas as CPRs de valor superior a R$ 250 mil têm de ser, obrigatoriamente, registradas. A partir de 2024, todas elas terão de possuir registro, independentemente do valor, o que confere, ao mecanismo, ainda mais segurança.

CPR Verde & Mercado Financeiro

O BMV como pioneiro da CPR Verde tornou este instrumento resiliente e flexível que permite o mercado financeiro invista na mitigação climática de forma eficaz.

Benefícios e Inovação

  • Criação de produtos de finanças estruturadas para desenvolvedores de projetos.
  • Alocação da CPR Verde em fundos como fator ESG pratico no curto, médio e longo prazo.
  • Transparência dos dados de referência e de mercado ESG.
  • Compradores e fornecedores se beneficiariam de novos serviços de relatórios e análises ESG.

Agenda Verde​

Para a capacidade de atingir resultados líquidos positivos a chamada agenda verde ou recuperação verde adiciona resiliência à infraestrutura como ponto de equilíbrio para atingir suas metas.

O grande desafio está em identificar áreas de oportunidade para adesão  de novas tecnologias ou readaptação/renovação de ativos existentes.

Além disso, as empresas devem decidir quando deixar de ativos improdutivos, de acordo com as mudanças regulatórias ou de mercado.

Quer saber mais?

Entre em contato